domingo, 4 de setembro de 2011

A boa vida que se leva




Não há nenhum alarde a ser feito, mas desde o início do ano passei a tomar remédio para o coração, por conta de uma má formação. É bem ruim receber a notícia de que isso seria preciso e para sempre, a gente entra em um estado, a princípio, de dúvidas mil e quer ir a outros médicos e quer fazer medicina para se curar, mas essa minha mania de achar que posso resolver todos os problemas, meus e dos outros, contribuiu muito para essa necessidade de medicação, a forte pressão, que eu mesma me faço, me levou a um estado de stress que tenho tentado contornar.
Nessa vontade de me fazer o bem eu vi quanta gente o faz despretensiosamente, seja com a publicação de uma foto fofa, com o disseminar de um poema, de um trecho de livro, compartilhar o lanche, ensinar, estender a mão, montando um daqueles Power-points que a gente recebe e torce o nariz, mas quem te mandou só queria te agradar e quem o montou só queria que a gente agradasse aos outros
Pequeninas disposições, de gente boa, e é desse tipo de gente que eu to rodeada. Isso enche meu coração de orgulho e me faz pedir a Deus que me ajude a retribuir tudo que eu ganho, direta ou indiretamente.
Muito obrigado por terem me conquistado e me deixado conquistar vocês, a família que eu tenho (e a que eu quero ter), os amigos, os melhores do mundo, o meio em que eu vivo e a tudo o que tenho acesso.


Matheus, para ti faço um agradecimento especial.

4 comentários:

Honestino Afonso Xavier disse...

Boa noite.
Não desista de fazer o bem, nem te envergonhes, não que tenha sentido isto no seu texto, apenas reforçando o caminho dos que se dispõe a percorrê-lo.

Um provérbio, sem motivo especifico por ter deixado no seu blogger, mas especifico para que leia as Escrituras de Deus, pois ela sempre fala ao nosso ser.

CAPÍTULO 27

NÃO presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará.
2 Que um outro te louve, e não a tua própria boca; o estranho, e não os teus lábios.
3 A pedra é pesada, e a areia é espessa; porém a ira do insensato é mais pesada que ambas.
4 O furor é cruel e a ira impetuosa, mas quem poderá enfrentar a inveja?
5 Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto.
6 Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos.
7 A alma farta pisa o favo de mel, mas para a alma faminta todo amargo é doce.
8 Qual a ave que vagueia longe do seu ninho, tal é o homem que anda vagueando longe da sua morada.
9 O óleo e o perfume alegram o coração; assim o faz a doçura do amigo pelo conselho cordial.
10 Não deixes o teu amigo, nem o amigo de teu pai; nem entres na casa de teu irmão no dia da tua adversidade; melhor é o
vizinho perto do que o irmão longe.
11 Sê sábio, filho meu, e alegra o meu coração, para que tenha alguma coisa que responder àquele que me desprezar.
12 O avisado vê o mal e esconde-se; mas os simples passam e sofrem a pena.


Abraços
Jesus Cristo te Ama!

Felipe disse...

A boa vida que se leva... Sempre foi boa por ser encantada por tuas palavras. Volta a publicar!!
Isso aqui ta parado! Duvido q tenhas parado de escrever. Mada! Tu es responsavel por aqueles que cativastes, nao podes nos deixar sem atualizaçoes deste mundo que so percebemos com o teu olhar. Nao possuimos este dom de ver as coisas com a magia que tu ves. Fiquei mto mto triste com a tua noticia, tbm queria fazer medicina para achar tua cura. Mas tua cura ou a nossa pode estar na tua escrita, pq não?
Escreve, vai. Só mais um pouco.
Bjs a todas e um abraco pro Joca

Anônimo disse...

A primeira vez que parei em seu blog foi por causa deste seu post que peço licença para transcrever abaixo.
Não sei bem porque, mas creio que uma pessoa que está voltando do trabalho, presumivelmente cansada, mas que ainda assim tem sensibilidade e perspicácia para observar o cavalinho de bolero, essa pessoa NÃO tem um coração doente! Com certeza seu coração é de ouro!
..................................
"Cavalinho Moderno
Voltando do trabalho para casa, passei por meu vizinho, Sr. Cavalinho Moderno. Cansado de ser apenar mais um cavalo marrom (nossa, sou especialista em raças) e após folhear inúmeras revistas de moda ele decidiu que mudaria seu visual. Ao descobrir que o “bolero” era a coqueluche do mundo fashion ele não protelou em comprar um para si. Agora desfila todo ostentoso nos campos do Distrito Industrial."
...................................
Um beijo, e muitas felicidades para você neste Natal, Espero, em Cristo, que o Ano-Novo seja pleno de paz e de muitas felicidades para você, Magda.
PS: Nunca tire esse cavalinho de seu imaginário, por favor...
Julius

Alexandre Vergara disse...

Magda.
volte a escrever por favor. Aliás, volte a escrever aqui.
Um abraço do teu colega, que te considera muito, mesmo tendo falado tão pouco contigo nesses últimos 20 anos.(infelizmente)
passa lá no meu blog
ogritoeovacuo.blogspot.com.br

a vida é um lápis, escrevemos e ele vai ficando pequenininho, e tem um borracha na ponta, pra corrigir as besteiras, mesmo que fique borrado, mesmo que rasgue o papel...