terça-feira, 30 de outubro de 2007

Uma coisa bonita que eu to lendo

“A felicidade geral com que foi recebida a passagem dessa banda tão simples, tão brasileira e tão antiga na sua tradição lírica, que um rapaz de pouco mais de vinte anos botou na rua, alvoroçando novos e velhos, dá bem a idéia de como andávamos precisando de amor”.

Carlos Drummond de Andrade, em uma crônica falando a respeito da música A Banda, do Chico.

domingo, 28 de outubro de 2007

Elogie mais, critique menos

É tão fácil ter um bom gosto musical quando se nasce na frente de uma estante atulhada de boas músicas. É tão fácil toda essa cultura quando a mesma estante também guardava todos aqueles livros.
É tão fácil toda essa crítica sobre quem não teve as mesmas oportunidades.
De longe tudo é tão solucionável.
O meu aplauso vai para toda pessoa que não teve nada que o induzisse a ser “uma pessoa legal” e assim se fez por uma vontade própria e despretensiosa.
A minha admiração vai para todos esses que arrancam atenção sem nem saber que assim fazem.

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Acerca dos buracos

A gente cresce para cima e um buraco cresce para baixo, já pensaram nisso???

Será que buracos estão de cabeça para baixo?

E quando brincam de esconder, eles não se abaixam como nós, eles se levantam!

Será que a gente está de cabeça para baixo?

Sim! Acredito que a maioria de nós está de cabeça para baixo e nem desconfia.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Momentos inesquecíveis da minha infância

Capítulo 6 – Eu já fui Miss

O ano devia ser 1985, a mãe tinha me matriculado em um prézinho, mais ou menos perto da minha casa. Meus objetivos na referida instituição eram o lazer e a arte, o que consistia em passar as tardes brincando de “Caverna do Dragão” e pintando lindas aquarelas que foram para o lixo.
A vaidade não me acompanhava em nenhum momento da minha infância, dessa forma, não faço nem idéia de como fui parar em um concurso de “Miss Prézinho Menino Jesus”.
Das minhas concorrentes não lembro, mas eu era a típica figura que entra para perder e se tornar a chacota geral. As perninhas eram tão finas que parecia que um joelho batia no outro quando eu andava, isso não ajudava em uma postura elegante, era alta demais, o que ajudava no desengonçamento (isso se prolonga até os dias de hoje) e morria de vergonha dessas coisas, para piorar minha situação me conseguiram um rapazote para me conduzir que era mais baixo que eu. A mãe me vestiu de marinheira na semifinal e levou a Mônica, minha irmã e a Duda, minha prima (as mesmas do episódio da Conga) para ajudar na torcida, reparem na empolgação delas, somente delas...



Depois de um belíssimo desfile (reparem)...





Não sei se por um milagre ou por compadecimento dos jurados fui coroada, enfaixada, sei lá, Miss... Simpatia!




Agradecimentos a minha mãe, uma mulher inovadora, reparem no meu modelito. Lá no fundo está a menina que me passou a faixa, vestida de prenda, jurando que era uma princesa e eu ali à frente, de microvestido branco, sapatinho vermelho e cabelo Chanel. A postura é algo que nem precisa ser comentado.

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Um esclarecimento

No dia que eu fiz esse blog eu não sei em que eu pensava, mas garanto que não era na palavra PROPAGANDA.
Hoje li (via msn, coisa triste) que eu o teria para me exibir.
Foi bem ruim sabem?! Um pouco por ter vindo de uma pessoa muito querida para mim e outro porque essa pessoa escreve muito bem, tem até um blog, pena que não é público, mas acredito que um dia será e quando assim for estará na minha lista de favoritos.
Com raiva do que lia acabei escrevendo demais, me excedi, fui grossa, mas agora, um tempinho passado, percebi que teve seu lado bom, foi uma boa crítica vinda de um bom escritor que não deve gostar das minhas bobagens, nem deve entender o que elas querem dizer, já me desculpei.
Percebi que formei a imagem de uma pessoa “exibidinha” e logo para quem eu tentei agradar tanto, fiz até uma série de historinhas aqui no blog.
Agora fiquei bem perdida, não sei mais o que escrever, eram só as bobagens da minha cabeça por umas vezes, sentimentos do fundinho do coração por outras, confesso que fiquei pensando em encerrar a conta.


Dica: Quem não gosta do que tem escrito aqui não precisa ler.

Deu briga aqui em casa

Entre os moradores da cobertura do meu gaveteiro.Ninguém quer se pronunciar a respeito do ocorrido, eu só sei que o Teddy, coitadico, foi parar de castigo atrás do porta-retrato.



(O que teria feito um inocente ursinho de madeira?)
(Soraia, a figurante girafinha amarela, é o ponto alto da foto, achando que era o centro das atenções e fazendo cara de inocente)


FELIZ DIA DAS CRIANÇAS! :)

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Campanha

“Vamos descobrir quem é o Horácio!”
Participem!!! Vale pista, dica, sugestão...
Leiam os comentários que ele já deixou, a tarefa é quase impossível. Contamos com a ajuda de todos, principalmente do próprio Horácio.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

domingo, 7 de outubro de 2007

To preocupada (2)

Antigamente um vírus podia dizimar populações, matava assim, sem a mínima piedade.
Hoje em dia as variedades do maldito microrganismo estão bem controladas.

Ta bem... Isso para quem estuda a vida humana né?! Porque para quem estuda a vida cibernética o maldito ta tomando mais Nescau que nunca!!!
Socorrooo! Tem um Cavalo de Tróia aqui!!!

To preocupada

Não sei mais sobreviver sem uma bolsa gigante e o pior, já tentei cortar a quinquilharia que carrego e não consigo, tudo é tão essencial, embora raramente saia de dentro dela.

(Será que é T.O.C.?)

sábado, 6 de outubro de 2007

Ah Rita!

Num mundinho tão virtual como se tornou esse, o que será do amor?
Não passem o dia digitando, abracem. Desliguem microfones e fones e sussurrem no ouvido.
Pelo que lembro que aprendi em física, se essa superfície do monitor não for um espelho plano poderá desviar os raios, o que será dos olhares? Para onde serão desviados?

“Mundo quadrado

Este teu monitor é o quadrado mundo que impede o navegante de ir além-mar. Fosse redondo eu poderia entrelaçar os meus dedos nos teus ou, quem sabe, buscar o horizonte onde divisam teus olhos. Mas nem os olhos me fariam alcançar, pois como as vidas, escondidas, que amanhecem e entardecem além do olhar, um abraço não se enxerga e sonhos um olhar não conta. Ao mundo que ultrapassa o além-mar dos teus olhos:abraçar é preciso.”

Rita Apoena

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

“É melhor ter dez ouvidos e só uma boca!”



Foi o que disse meu melhor professor ontem. Ele prefere aprender ouvindo a falar coisas sem uma certeza, coisas que podem estar erradas ou outras totalmente certas, mas que findam por magoar.
Eu prefiro ter dez olhos!
Esses dois pretinhos que já tenho me caracterizam, me proporcionam momentos de hipnose. Foram eles que fotografaram as minhas lembranças, eles que entregaram a minha tristeza, foi por eles que escapou meu sentimento.

Comprei minha camerazinha, foi um presente para os olhos, eles queriam explicar aos outros o que tanto me dispersa. Agora vou ativar minha conta no flickr, ela já existia, mas só para comentários.