terça-feira, 23 de novembro de 2010

Avalanche Suíça

Minha desconhecida habilidade culinária e meu conhecido jeitinho de improvisar me fizeram criar essa receita.
Eu me viro bem na cozinha, embora nunca comente isso, até porque nunca tenho espaço nela, visto que minha mãe domina muito bem a arte e pratica com gosto, sendo assim eu fico naquela confortável posição de degustadora.
Nesse feriado TENTEI fazer batata suíça, que eu comi lá em Montevidéu nessa minha última viagem. A expectativa da galera era grande e a fé da minha mãe, de que tudo daria certo, se restringia a uma dúzia de ave marias na volta do fogão. Pois bem, foi pouco, reza mais mãe!
Para fazer batata suíça a gente tem que cozinhar a batata, deixar esfriar e depois ralar ela. Quando a raspadinha de batata estiver pronta a gente coloca metade disso em um frigideira untada, coloca um recheio a gosto e depois cobre com a outra metade. Põe outra frigideira untada encima e vai virando na boca do fogão naquele estilo omelete.
Beleza, lá vou eu.
Até a parte do monta a gororoba tava tudo tranqüilo, mas a intensidade da reza da mãe aumentava bastante conforme se aproximava a hora de virar as frigideiras. Resultado: ela é vidente!
Naquele momento que eu tanto precisava de habilidade consegui virar as frigideiras desencaixadas e lá se foi, pra cima do fogão, um punhado de batata, requeijão, azeitona, queijo parmesão, cenoura cozida e orégano. A cara de “acabou com o almoço de domingo” surge em um segundo no semblante das pessoas quando uma coisa assim acontece. Debaixo de vaias e tomatadas juntei tudo, joguei em uma forma untada, joguei mais queijo, mais requeijão, joguei pedra na Geni e cobri tudo com muito queijo cheddar. Depois coloquei o despacho no forno por uns 15 minutos, ou 20, ou 25, não sei, aconselho forno com porta de vidro e ficar cuidando.
Resultado: ficou tão bom que não deu tempo de fazer uma foto do prato antes de ser devorado, tudo bem já eram duas da tarde e a galera faminta aumentou meu prestígio e glória.


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

12/11/10

Sexta, 12...11....10... Contagem regressiva para o feriadão!

terça-feira, 9 de novembro de 2010

As minhas três vergonhas



Quando mais nova eu carregava três vergonhas comigo, a primeira não saber nadar, muito chato ver os primos se jogando em qualquer água e ficar de longe só olhando, a segunda não saber nenhuma palavra em inglês e viver apelando para o google e a terceira não saber dirigir, isso já com mais de vinte anos de idade. Aos poucos eu fui aprendendo as coisas e na ordem inversa das vergonhas, a carteira de motorista já renovei umas três vezes, o inglês ainda me dá um nó na cabeça, mas já são dois anos e meio de curso e hoje consigo me virar na compreensão, claro, if you speak slowly I can understand. Mas faltava a última. Embora eu faça remo há um tempinho EU NÃO SEI NADAR! Motivo de pânico quando o barco inclina demais e de apreensão por parte dos instrutores lá do remo, afinal o São Gonçalo não é raso e tem uma correnteza bem forte dependendo da vazão entre as duas lagoas. Pois muito bem, já é tempo de acabar com isso. Ontem comecei minhas aulas de natação e esse meu jeito ariano de descrever as coisas pode acabar distorcendo a situação, mas o fato foi: EU AMEI! Não consegui fazer maravilhas na primeira aula, mas a primeira aula fez uma maravilha em mim. Não sei qual a melhor sensação, se a de estar aprendendo uma coisa que eu queria tanto, ou a sensação boa que a água causa na gente.
Agora já quase me considero uma sem-vergonha.

domingo, 17 de outubro de 2010

A coisa tá crítica

E no caso "a coisa" sou eu. Não consigo mais nem entrar no msn, só naquele tempinho pré-on line, que a gente entra off, vê quem tá e lê as frases, nesse pequenino momento, eu já desisto.
Tem gente ali que eu gostaria muito de fazer um contato, mas se eu entrar e a massa "conto tudo da minha vida super bacana ou do meu estado de quase morte" vier falar comigo. Eu não posso com uma janela piscando pra mim e bloquear me dá trabalho e pena, não sei em que proporção de cada ítem e também acredito que não preciso fazer uma equação para esse tipo de questão, mas enfim...
Melissa? Cachaça? Boa noite cinderela?
O que me sugerem para meu momento filhote de Seu Saraiva com Super Sincero? (não tentem imaginar)

terça-feira, 5 de outubro de 2010

A gente tem o gosto do que gosta

Eu que escolho o meu sabor, desde o hálito com essa minha balinha preferida até o sabor de bagunça que tem o meu penteado. Se tem sabor de estranho nos meus sapatos e de florzinha de retalho na lapela do meu casaco, se tem sabor de conforto no meu jeito de andar e sabor de interesse no meu jeito de te ouvir é porque eu escolhi assim. O que eu gosto de fazer, de usar e de falar vai deixando o meu gostinho, exposto para atrair quem goste de mim. E se eu te prendo a atenção é porque, não sei se direta ou indiretamente, eu quis assim, gostando do que tu gostas, fácil assim.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Feliz Primavera!

Eu fui procurar uma foto de flor para colocar aqui, mas era tanto lótus, hibisco, girassol, que eu me perdi nas minhas preferências..
Setembro é um mês que eu gosto muito, tem dia da árvore, dia mundial sem carro e início de primavera, tudo de mãos dadas.
Me agrada muito dar tchau para o inverno e contar com dias de sol que virão, com luminosidade, é outro clima, é outro astral.
Feliz Primavera (austral)!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Pic-nic no trabalho

Imitando a Operação Golfinho, da Brigada Militar, lancei meu projeto verão 2011. Já estou na academia faz algumas semanas, não preciso dizer que subir uma escada é um ato de coragem né?
Hoje, véspera de feriadão, e com parte do projeto abortada ontem depois de uma pequena grande guerra familiar que boicotou minha corrida-morte, eu me vesti de coragem e empolgação e vim pedalando até o trabalho. Como não dá tempo de ir de bike em casa almoçar, pois tenho só uma hora e meia para ir e voltar, sem vomitar o almoço, e o dia, finalmente, é de céu todinho azul, resolvi fazer um pic-nic no mato de pinheiros que tem do lado do prédio. E tava tão bom, e eu comi tudo, e li meu livrinho novo (A Longa Marcha dos Grilos Canibais), e to feliz, muito feliz.

Bom início de feriadão e parabéns gauchada pela nossa semana!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Da série Cantando no Trabalho

"...eu queria ter uma bombaaaaaaaa
um flit paralisante qualquer..."

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Da série Esquisitices do Cotidiano

Ver gente que já foi só sorrisos e simpatia fingir que não conhece a gente é bem estranho. E não me venha com “não me lembros”!

sábado, 21 de agosto de 2010

TOMA! (no balde)

Que saco essa história de não ter dinheiro e ter muitos problemas, vou inverter isso...
-Chefe, preciso de 6 dias das minhas férias.
-Quantos?
-SEEEEEEEIIIISSSSSSSSS! (naquela paciência)
-Tá bom Magda, mas pode ser depois de...
-Valeu, sexta começa!
-Hein?!

E foi bem assim que foi e que eu fui. Fui parar na Argentina com um mochilão nas costas, mas antes dei uma boa banda pelo meio do Uruguai, conheci até a fábrica da Patrícia, aquela cervejinha tão boa. A carona que eu tinha era até Colonia del Sacramento, que eu queria descrever como o lugar mais lindo que eu já vi, mas levando em consideração que sou ariana e exagerada pra c... só digo que é uma cidade que foi tombada pelo Patrimônio Histórico da Humanidade e que nela fiz umas duzentas fotos, de casinhas e carros antigos, do por-do-sol, do farol, ai ai, posso voltar?
Depois parti, rumo a Buenos Aires, de barco, chegando perdidaça, sem hostel, sem mapa, mas com uma sorte que foi o ouro. Um taxista me levou até um hostel, em Palermo, que, segundo ele, a brasileirada adora, mas só tinha gringo, e tinha quarto, uhuu! Lá fiquei duas noites, e andei por toda a cidade, Recoleta, San Telmo, Caminito, La Boca, Centrão, Casa Rosada. Muito bonita a cidade e bem fácil de se localizar, tudo muito sinalizado e aparentemente sem grandes perigos. Depois voltei para o Uruguai, mais um dia em Colônia e depois fui para Montevidéu, cheguei lá na terça e a cidade só tinha um ritmo de trabalho e casa, nada de festas, mas foi bem legal andar pela Ciudad Vieja, conhecer o centrão e o Estádio Centenário, andar de bike pela Rambla, só uma coisa não gostei, a cidade é bem suja, preocupação zero com o meio ambiente, o que poderia ser uma Ipanema do Pampa acaba sendo uma avenida com prédios enormes e bem bonitos, um rico calçadão, mas tudo isso pra contemplar um mar de esgoto, uma pena. Viajei de volta para casa na noite de quarta e só cheguei aqui na quinta perto do meio-dia, bem demoradinha a viajem de Jaguarão até Pelotas.
Já tava com uma saudade do pessoal aqui de casa, voltei cheia de cacarecos do Mercosul e contando as migalhas que sobraram para a próxima.

Deixo umas dicas para quem quer se aventurar por ai: Leve dólares, e dólares limpos, pois o comércio e as casas de câmbio na trocam dinheiro manchado, somente os bancos trocam e cobram uma taxinha salgada para efetuar essa troca. Procure um hostel El Viajero na cidade de destino, são muito organizados e limpinhos e o pessoal do atendimento faz tudo de boa vontade e sempre ajuda. Leve uma bolsa de sobra, é impossível voltar com pouca coisa da Argentina. Tome toda a coca-cola que puder no Brasil, fora daqui uma garrafinha pode custar até R$ 8,00. Leve cadeados pequenos para as mochilas, nem sempre elas viajam com a gente. Dependendo da memória da sua câmera leve outra de reserva. As tomadas no Uruguai e na Argentina são diferentes do Brasil, carregar celular e câmera só com adaptador. Se for até Buenos Aires de avião, não deixe de conhecer Colonia del Sacramento e vá de BuqueBus, a viagem é muito tranqüila e nem custa muito não. Pode ser necessário arranhar um inglês em Buenos Aires, lá eles têm dificuldades de entender português. Não tenha medo do preço do táxi, lá é beeeeeem mais barato do que aqui.

Fotos? Talvez no flickr, mas hoje meu nome é preguiça.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Minha pequena

Ela tem um jeito manso, de comer e dormir e tem também uma fúria naqueles olhos de jabuticaba, dispara quando furiosa e corre para um abraço quando carinhosa. É que eu sou boba assim pelas coisas que eu conquistei, mas nunca tentei conquistar quem não me conquistou antes e essa me fisgou quando nasceu. Nasceu com os meus olhos e eu soube pelo telefone que um grande amor me esperava no hospital.
Tem coisas que a gente sabe que nunca vão mudar, o amor, o orgulho e a amizade que tenho relacionados à minha sobrinha não sei explicar, só sei sentir e sinto que é para sempre desde sempre.

(amigas, bicicletas, filme, rir, bobocas, cócegas, reclamar, coca-cola, nega-maluca, fotografia, poesia, vou chorar)

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Amanhã novamente

Despertou, acordou, levantou, se banhou
Engoliu, repetiu, a porta abriu
Foi-se a segurança, tem que entrar na dança

Um sufoco, um louco, foi por muito pouco
Respirou, aliviou, o-ou, recomeçou
Trim-trim, trim-trim, sem fim

Meio-dia, correria

Ela voltou, se apavorou, encarou
Agüentar, rezar, acreditar
Brigar, prometer que nunca mais vai voltar


(alguém quer meu currículo?)

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Fifa divulga frases dos ônibus das seleções na Copa

África do Sul: Uma nação, orgulhosamente unida sob um arco-íris (dispensa comentários)

Alemanha: Na estrada para ganhar a Copa! (suuuuuuper criativos)

Argélia: Estrela e a lua crescente com um objetivo: Vitória! (sua virgenzinha!)

Argentina: Última parada: a glória (os mais arrogantes, sempre!)

Austrália: Ouse Sonhar, Avance Austrália (não importa até onde)

Brasil: Lotado! O Brasil inteiro está aqui dentro! (a melhor de todas)

Camarões: Os Leões Indomáveis estão de volta (uuuuuuuuuuuiiiiiiiiii)

Chile: Vermelho é o sangue do meu coração, Chile campeão (passou, passou um avião...)

Coreia do Norte: 1966 de novo! Vitória para a Coreia do Norte! (cruzes, esse número não é bom)

Coreia do Sul: Os Gritos dos Vermelhos, República da Coreia Unida (não me sugere nada de bom)

Costa do Marfim: Elefantes, vamos lutar pela vitória! (e os jogadores, não vão?)

Dinamarca: Tudo o que você precisa é uma seleção dinamarquesa e um sonho (para quê? Vocês fazem empréstimo?)

Eslováquia: Façam tremer o gramado verde! Vamos Eslováquia! (Avante sentinelas!)

Eslovênia: Com 11 corações valentes até o fim (e os reservas não vão?)

Espanha: Esperança é meu caminho, vitória é meu destino (ué, não era esperança é a última que morre?)

Estados Unidos: Vida, Liberdade e a busca pela Vitória (leia-se: sai ou passo por cima)

França: Todos juntos por um novo sonho em azul (que mimosa!)

Gana: A esperança da África (acabou com os países vizinhos)

Grécia: A Grécia está em todos os lugares! (é Deus)

Holanda: Não tema os cinco grandes, tema os 11 laranjas (o ônibus do senado, cheio de laranjas)


Honduras: Um país, uma paixão, 5 estrelas no coração! (ão, ão, ão, Honduras paisão)

Inglaterra: Jogando com orgulho e glória (se fosse macho dizia com raça e coragem)

Itália: O nosso azul no céu africano! (de novo isso?)

Japão: O espírito Samurai nunca morre! Vitória para o Japão! (futebol do além)

México: É hora de um novo campeão! (entregando que nunca ganhou)

Nigéria: Super Águias e supertorcedores, estamos unidos (tá com cara que vai dar certo?)

Nova Zelândia: Chutando ao estilo Kiwi (cumé?)

Paraguai: O leão Guarani ruge na África do Sul (uuuuuuuuuuuuuiiiiiiii, leoa louca)

Portugal: Um sonho, uma ambição... Portugal campeão! (viva o ão, ão, ão)

Sérvia: Joguem com o coração, liderem com um sorriso! (isso é futebol ou miss universo?)

Suíça: Vamos, Suíça! (simboooooooooora)

Uruguai: O sol brilha sobre nós! Vamos, Uruguai! (uma virgem né?!)

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Vexames (i)números

Retire sua ficha:
2069 (eu)

- 2065!
- Três pães, por favor.

- 2066!
- Oi, eu quero 6 empadinhas...

- 67!
- Me vê 500 g...

- 68!
- Boa noite! Seis pães...

- 69!
- hahahahahaha, sou eu, o meia nove sou eu, hahahahahaha...

NINGUÉM RIU!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

domingo, 2 de maio de 2010

Girafas não podem passear ouvindo MP3




Porque todo fone tem o fio curto.

(Tirinha do Macanudo)

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Preciso aprender a fumar

A turma do stress aqui no trabalho sempre resolve dar uma saidinha para fumar quando a coisa aperta, eu não fumo, ta um frio danado, não vou sair para rua, meu telefone não paaaaaaaaaaaaaaaaaaara (sem acento segundo a nova regra do português e para eu já ir me acostumando com isso) só gente me cobrando, tive uma brilhante idéia: tirar do antigo gancho! Beleza, as pessoas começaram a vir aqui me cobrar, não sei dizer o que é pior, mas com certeza sei o que é mais constrangedor, é o pessoal chegar na hora que eu estava me escondendo dentro do armário.

sábado, 17 de abril de 2010

De súbito

Um abraço, um sorriso, um cartão, uma mensagem no celular, um recadinho no orkut, um bilhete, as ligações, um boneco de dobradura, um e-mail, três tortas, duas no inglês e uma em casa, amigos, surpresas, saliva que não passa, esse nó, esse tanto, ai, ai, esse tanto de carinho que recebo me deixa assim, boboca, me faz ter orgulho por ter conquistado pessoas que primeiramente me conquistaram, me cativaram e essa reciprocidade de sentimentos é o melhor presente que eu poderia ganhar, não só hoje no dia do meu aniversário, mas em todos os dias.

Feliz aniversário para mim, foi sim!

quinta-feira, 25 de março de 2010

Aigizuis!

Aconteceu uma coisa bem ruim na minha casa, mas chega de contar desgraça, agora já está tudo bem, ou se encaminhando para isso, então tive que vir aqui contar o que eu assisti ontem na TV.
Não sei que canal era, eu tava fazendo aquela roleta russa de quem não gosta de nada que dá na TV e de repente, opa! Cleber Bambam dando entrevista, essa vou ter que assistir.
Era sobre o grupo dele de axé–pagode-funk-ataque epilético nas nádegas-se esfregando uns nos outros-vamo todo mundo fica pelado!...
Então, respira, continuando: No tal grupo tinha a Mulher Múmia, com um corpinho daqueles que os homens olham e dizem “Noooooooooooooooossa, gostoooooooooosa, mamãe te quer pra nora” e as mulheres dizem “gorda”, mas pensam “que raiva da barriga dela”. A dita não podia falar nada e vinha toda enrolada numas faixas brancas, por isso o criativo nome. Aconteceu uma briga entre integrantes do grupo e a tal Mulher Múmia (que nem eu sei por que to escrevendo em maiúsculo) resolveu sair e fazer carreira solo.
Me ajudem? Como uma múmia faz carreira solo?

domingo, 21 de março de 2010

Oh, to voando!

Foi o tanto que eu estufei o peito, por conta dessa tranqüilidade que tem me carregado todos os dias e, que ironia, logo no meu inferno astral, mas eu esperava por isso, já que o do ano passado foi tão violento que fiquei com créditos até os 40, no mínimo!
Hoje passei o dia reformando a sala da minha casinha, pensei em tirar uma foto do antes, mas a mãe me mataria, e do depois, como vai demorar bastante, provavelmente eu esqueça, mas estou fazendo tudo com carinho. Coisa boa a casa da gente, garanto que vou ter o inverno mais aconchegante de todos. To feliz dessa minha vida!

quarta-feira, 10 de março de 2010

Não

Não se contabiliza saudade, porque nesse esquema de contrapartidas crédito-débito se eu debitar ela daqui, de dentro de mim, eu vou creditar isso onde?
A única relação que consigo fazer com o sistema contábil é com sua palavra-chave e ser contra partidas, separando a palavra, em contradição ao que a expressão tem de mais interessante, que é unir.
Saudade tem relação estreita com distância, física ou temporal, passa o dia na lembrança e dorme no coração, e pesa, e aperta, dá nó e não tem dó, e mesmo as ciências contábeis, não sendo assim exatas e sim humanas, são só ciências e deixaram aqui, com os humanos, essa saudade que não sabem contabilizar.

Se eu formatar mais uma vez meu computador...

serei a chacota da assistência técnica!

domingo, 7 de março de 2010

Minha internet é uma caçamba furada, não carrega nada.

(segue o projeto repentista na terceira idade)

Mais uma das coisas que só acontecem comigo

Magda em pensamento: Pela estrada a fora, eu vou bem sozinha, levar esses doces para vovozinha...
Devia estar uns 40°c na rua, já que é moda aqui no sul agora e eu não tenho ar condicionado, então dirigia com os vidros abertos, estacionei na frente do prédio que eu ia, isso era do lado de uma lixeira e com um mendigo mexendo nela.
Magda olhando para sua direita: Alô, to aqui embaixo, pode descer.
Nisso uma mão cheia de jornal, vinda da minha esquerda, atravessa o meio da minha cara e coloca esse monte de jornal sobre do meu painel.
Magda em pensamento: Pai nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome...
Magda: Ô moço, o que é isso?
Mendigo: (silêncio)
Mais um monte de jornal na mão
Magda: Páááára de colocar jornal aqui dentro, eu não quero eles.
Mendigo com o dedo na minha cara: Isso não é crime, dar as coisas não é crime!
Magda: Ok, mas não querer as coisas também não é crime!
Fechei o vidro correndo e vi o mendigo fazendo chuva de papel picado no meu capô, suuuuuuuper divertidinho ele, pendurou tudo que tinha na lixeira no meu limpador e começou a desenhar no vidro. Isso só parou quando ele pegou um pedaço de pau da lixeira e me viu disparar em velocidade.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Caraaaaaaaaca

Do jeito que vai a “terremotagem” to achando que vou acabar morando de frete pro mar.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Ô moço, posso dar uma dica?

Vender 6 picolés por R$ 2,00, de carro e andando só em primeira não dá lucro sabia?!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Compensa


Mudei meu horário no remo, não entro mais às 7 e sim às 6:30. Maluquice?


Não perco isso por nada. To adorando :DDDDDDDD

Projeto Loteamento no Céu



É o tanto que eu me amo que me faz ter esse tipo de idéia.
Eu fui ver a festa de Iemanjá no Cassino, até larguei um barquinho de papel, cheio de pedidos e flores, para ela me dar uma força e para oceanógrafos me darem uma pedrada. Fui de carona com meu primo, levei só uma mochila e um travesseiro, meu plano era o seguinte: ver a festa, ficar lá no feriado, dormir e no dia seguinte ir até a cidade para levar um currículo no SINE e pegar meu diploma lá na FURG. Consegui tudo, mas deu um trabaaaaaaaaaaaaaaaaaaaalho...
Primeiro: fui de tênis e calça jeans, no outro dia isso não cabia na mochila e tive que voltar com essa mesma roupa;
Segundo: o outro dia fez quase 40° C;
Terceiro: a calça era juuuuusta e colou;
Quarto: a blusa era preta e o suor pingou;
Quinto: o travesseiro me acompanhou em todo o trajeto;
Sexto: depois de uma hora caminhando no sol um travesseiro lembra muito um acolchoado de penas;
Sétimo: não tem micro para voltar da reitoria, ou seja, caminhadinha no sol do meio-dia até a faixa;
Oitavo: Busão lotado, voltar para casa de pé.

Mas teve uma coisa muito boa, descobri onde é o furinho que sai o ar condicionado no ônibus e vim brincando de ventilador no meio do corredor, abstrai a galera.

Desenho da Ingrid.

Obs: até agora nenhum e-mail ou ligação das empresas de Rio Grande.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Com licença


Sou bacharel!
Enfim me formei. Na correria que uma formatura insere a gente nem deu tempo de contar sobre a minha monografia, minha defesa, meu finlazinho de FURG... conto agora então.
Não tenho uma palavra para dizer como me sinto hoje, já tentei juntar várias e formar uma frase, mas confesso que ficou bem confusa. A defesa é, sem dúvida alguma, uma das 10 piores coisas que já fiz na vida, mas no fim me sai super bem, ganhei elogios e críticas, que vão me ajudar a montar um artigo, mas isso ainda tem tempo.
A formatura foi um festão só, minha família, meus amigos queridos junto comigo e eu pagando de orgulho da mamãe e recebendo honras do conselho regional de economia, ganhei um certificado pelas minhas notas, chorei tanto, não de exibidinha, mas me deu um orgulho de mim e junto veio uma esperança, de futuro bom, se tive capacidade de tirar notas boas assim tenho que usar esse mesmo interesse para estudar para um concurso ou para o mestrado. Ta na minha mão.
Agora que ta estranho, sobrou tempo, abriu um buraco na correria do meu dia e o buraco levou o horário do ônibus. O que vai ser de mim sem ver meus amigos todo dia? Choradeira nos primeiros dias e 12 Kg a mais, já que vou marcar churrasco todo fim de semana.
Bom, é um novo tempo né, e eu, que sempre fui avessa a mudanças e por conta desse estranhamento com elas já me ferrei demais, prefiro pensar que se abriram as portas da felicidade, tudo bem, a visão ta meio turva daqui, mas deve ser aquele gelo seco que colocam em grandes espetáculos pra dar um ar de mistério.
De muito bom pra esses novos tempos já tenho meu CD da Maria Gadu e minhas aulas de remo que comecei hoje às 7 da matina, vendo o solzinho nascer no canal. Como diz o Filipe: Coragem!

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Os menores vulcões do mundo

Cada um de nós tem um par deles, um no canto esquerdo do olho direito, outro no canto direito do olho esquerdo. E quando entram em erupção não despejam fogo, despejam água, salgada como o mar e morna como a gente é por dentro.
Na verdade fogo foi, mas só enquanto ardia lá dentro e o sonho que é combustível e inflamável se viu assim, na condição de lenha, conduzindo o incêndio, se fazendo em brasa, precisando brisa, explodindo em lágrima.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Pra começar arrasando

Entrei o ano fantasiada de picolé mini-saia, uma parte marrom e outra rosa, super rosa, viva torrar no sol!!!!!!!

Feliz ano novo!

Porcabacana was here last night!