quinta-feira, 24 de abril de 2008

Mudança repentina de humor




Nem me importei com o xampu que acabou no início do banho, aproveitei o frasco vazio para fazer bolhas em um banho que deve, quase por lei (global-capitalista), ser muito rápido. E nem me importou que só deu tempo de fazer três bolhas, uma só já seria ótimo. E nem me importei com o machucado no dedo indicador, que não quer sarar e hoje perdeu o chapéu mais uma vez, muito menos me importei com esmalte roxo descascado na unha do dedão. Nem as risadinhas dirigidas a minha meia-calça azul-turquesa e muito menos com esse sono gordinho, que se pendurou nas minhas pálpebras, desde terça quando comecei a acordar na madrugada para estudar.
Tô de bom-humor, a exposição dos meus dentes estampada em um sorriso que vai de orelha-a-orelha registra isso. Um carinho arranca as rugas da testa e hoje ganhei um presente que foi parar na porta do meu quarto e um bilhete escrito à mão que foi parar no bolsinho da carteira.
Do ato todo o mais bonito são os detalhes. A letra, a dobradura, o papel cortado pela metade, para caber justinho o que as palavras vinham me contar, mas o melhor de tudo era a caixa, a caixa de meia-calça. Quem colocou o presente lá dentro sabe que eu não tenho frescuras. ADOREI!

3 comentários:

Natali Rêgo disse...

Aiii que bunitaaaa!!!!!!!!

.Kel. disse...

Adoro quando tu está contente.. pena que não estejas muita vontade de escrever!! Bjusss

.raven. disse...

hehehehe... presentes fofos de valor sentimental são os melhores... que lindinho...e o melhor é que quem faz esse tipo de coisa é só quem nos conhece bem e sente segurança em fazer isso =]

É bom estar radiante, né? Delícia mesmo! E melhor ainda quando isso contagia!

Já contei que amo roxo? Eu também pinto a unha dessa cor...hihihihi

E parece que essa "falta de vontade de escrever" tem imperado.... Não sei bem o porquê...
Mas sei bem que passa...

Bjinhuz!!!