sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O dialeto da costura

Eu queria deixar godê
Ou qualquer coisa meio evasê
Mas se tiver que ser plissê
Fazer o quê?

Uma ombreira
Uma pense
Um pinchal

Esse tecido é enfestado?
Popeline com drapeado
Petit poá acetinado,
Ou broderi amassado?

Entretelei
Engomei
Caseei
Alinhavei
E me cansei

Tomara-que-caia
Tomara que sirva
Tomara que dê

(procura-se vestido de formatura e dicionário da alfaiataria hahaha)

5 comentários:

bayub disse...

Muito show! Victor Valentim e Jacques Léclair disputariam a tapas uma poetisa com tamanha desenvoltura para costura. Parabéns!

.Kel. disse...

A-d-o-r-e-i!! hahaha

Difícil achar vestido né??? Tive sorte até por ter mãe costureira, comprei um e ela mudou o que eu queria, e depois eu bordei ele lindo, lindo, lindo!!!

Eu negrona de tomara-que-caia branco bordado! Bons tempos... há 10 anos direto do túnel do tempo heheh

Bjus
estava com saudades da vida virtual
(é claro que a real estava ó-t-e-m-a no Rio heheh)

filipe disse...

claro que eu amei!!!!!!!!!!!!!
mas faltou citar pompilio, o saudoso!!!!!!!!

Taly disse...

Com uma ideia bem pensada,
pode ficar bem bolado,
não interessa o broderi,
nem o pliçado,
porque em você,
Tudo vai ficar um arraso ;)

Paulo André disse...

Ficou bem legal o versinho, apesar de vários termos serem estranhos pra mim, pra mim moda é mais o menos como isso: http://www.youtube.com/watch?v=lPwh6fN0KNE

Beijão, e força com a psicomonografia!