sábado, 15 de dezembro de 2007

Sobre a minha capacidade de estragar tudo

Ela é imensamente grande e espontânea, por mais que eu me esforce para fazer uma coisa mimosinha geralmente a coisa se transforma em catástrofe, desaforo, birrinha e por ai vai.
Um exemplo disso aconteceu hoje, quando fui fazer um pratinho para o Nana, lembram dele né? (“Miniflashback”: É o passarinho que me visita aqui na janela do meu quarto). Como ele não consegue se equilibrar na janela, só na grade, eu resolvi pendurar um pratinho na grade, com alpiste, para ele conseguir comer. Acreditem, meu pratinho branco e grande demais serviu de espantalho e agora o Nana ta lá longe com medo do fantasma que eu criei.

Eu só queria que ele não ficasse com fome!

4 comentários:

Horacio disse...

Sua intenção foi a melhor possível...Mas os passarinhos são assim mesmo, eles não conseguem entender as nossas intenções por melhores que elas sejam.
Imagine o que eles deverão achar desse costume abominável que nós humanos temos de prendê-los em gaiolas.

.Má. disse...

Eu concordo com o Horácio sobre o costume abominável de prender os passarinhos em gaiolas, ultimamente tenho me sentido até mal quando vejo isso....

Mas sua história me fez lembrar uma que aconteceu recentemente comigo. Um passarinho entrou na lavanderia de casa e não conseguia sair porque só via a luz pela janela e lá ele tentava sair pela janela que na verdade não era janela e só entrada de luz, mas a porta bem grande estava abaixo... Fiquei um tempo olhando pra ele e falando (sim, às vezes falo com animais, porque sou boba mesmo) que a porta, por onde ele tinha entrado era a saída e era mais abaixo que a entrada de luz.

Fiquei uns 20 minutos ali e ele só ia do varal pra viga de madeira do telhado passando pela janela-não-janela que o confundia, e da viga pro varal passando pela janela-não-janela.

Desisti de ficar olhando as tentativas frustradas do bichinho que não entendia nada da arquitetura/engenharia humana... Afinal, ele não é humano e entrei pra cozinha, sala.... E uns 10 minutos depois, voltei pra ver se o passarinho ainda estava preso na construção humana (onde ele entrou por curiosidade) e finalmente, ele havia encontrado a saída, sem nem dizer tchau....
Mas antes isso que o coitado ficar preso na minha lavanderia...

Pois então, Magda, estou achando que o Nana só visita vc pra dizer oi, sem tomar o cafezinho mesmo de amigo... Acho que nem todos que ele visita devem ser como vc... E aí, ele fica com certos receios.

Quando ele aparecer diga apenas oi, ou coloque uma música tranquila... E as frutas, se quiser, acho que seriam melhor sem o prato... Mas não se esqueça que muitos pássaros se alimentam de insetos e não frutas... hahaha... Já pensou que vc pode estar oferecendo café pra quem gosta de tomar chá???? =)

Beijo!!!

Magda disse...

Ai, eu sei que ele já me cativou e agora não pode me abandonar assim, ele é eternamente responsável por mim. (Será que ele lê? hehehe)

Horacio disse...

Nem precisaria o Nana ler O Pequeno Príncipe para saber essas coisas...
Ele é sábio, apenas está fazendo charminho.