terça-feira, 13 de novembro de 2007

Abre essa gaiola vizinha, por favor?!

Que me dói ouvir. Isso, que para ti é canto, para mim é choro. É choro de passarinho que mora só, que não voa em bando, que não sente a cócega do vento nas penas enquanto plana.
É choro de passarinho que se banha em potinho de plástico com água da torneira, enquanto vê os outros nas poças e no banho de chuva.
Abre? Por favor!!! Porque passarinho assim só canta alto para pedir ajuda, para pedir socorro, para pedir licença de comer fruta no pé, melhor que esse alpiste do supermercado, licença para fazer amigos, esses sonhados amigos livres, licença para voar alto, licença para viver.

3 comentários:

.Má. disse...

É... o bicho-homem gosta de mostrar sua superioridade cativando tudo, não cativar de amor, mas cativar de prender, deixar em cativeiro... Sim, e por isso a natureza tem chorado tanto, tem se revoltado tanto... Quem enxerga a natureza, os bichos-homens entre os bichos-homens, linda como é, do jeito que é: livre, sente as mesmas dores que a natureza tem sentido... Nós gritamos, mas parece que não somos ouvidos. Dizem por aí: "Mas sou só eu, é só um!".. Mal sabem estes que eles aõ muitos!!!

A Natureza chora, se revolta, mostra que ela é mais poderosa, ela é mãe, mãe de todos nós e ela está bem brava é só ver suas manifestações!

mim disse...

Olá, Magda

Há pouco tempo, resolvi voltar a blogar. Por conta disso, busquei no gugou o nome do meu blógui, por curiosidade, e achei um link para ele aqui no teu. Não sei como tu conheceste meu blog, mas fiquei muito feliz, até porque dei uma olhada no teu aquele dia e gostei muito! Desde então, sempre te leio. Será que podia ganhar um linkinho de novo...? Hein? Hein?

Eheheh.

Valeu.
Jônatas Costa.

Natali Rêgo disse...

Avoa Avoa Passarinho!